quarta-feira, 24 de maio de 2017

Quadrado das Bebidas

Quadrado das bebidas

Os alimentos, desde há muito, têm diretrizes estabelecidas no que respeita ao seu consumo, nomeadamente através da Pirâmide e da Roda dos Alimentos. Inclusivamente, o seu estudo faz parte dos conteúdos programáticos do Primeiro-ciclo. Contrariamente, as bebidas têm sido deixadas a um total abandono, não estando o seu consumo sujeito a qualquer critério, resultando este desequilibrado e pouco variado. Por exemplo, não raros são os casos em que indivíduos absorvem almudes de vinho, menosprezando por completo a cerveja e os destilados.
É neste contexto que surge a proposta do Quadrado das Bebidas! Esta designação foi escolhida em jeito de homenagem ao Sargento-ajudante Quadrado, cuja bravura garantiu a D. Nuno Álvares Pereira a vitória na batalha de Aljubarrota.
O Quadrado das Bebidas é uma representação gráfica, um quadrado daqueles com quatro lados, que ajuda a escolher e a combinar as bebidas que deverão fazer parte do consumo diário. Divide-se em quadrados, tipo rectângulos, de diferentes tamanhos, que se designam por Rectângulos, que reúnem bebidas com propriedades semelhantes.
Cada um dos Rectângulos, além de terem os lados iguais dois-a-dois, apresentam funções e características específicas, pelo que todos eles devem estar presentes na ementa diária, não devendo ser substituídos entre si. Dentro de cada Rectângulo estão reunidas bebidas semelhantes, podendo ser regularmente substituídas umas pelas outras de modo a assegurar a variedade necessária. Em suma, o Quadrado das Bebidas ensina-nos a ter um consumo, completo, equilibrado e variado.
O Quadrado é composto por quatro Rectângulos de bebidas, cuja dimensão reflecte o peso que cada um deles deve ter no consumo diário: Vinho (50%), Cerveja (25%), Destilados (20%); Mixórdias (5%).


A água, não possuindo um Rectângulo próprio no Quadrado, está representada em todos eles, uma vez que faz parte da constituição de quase todas as bebidas. A sua presença é proporcional ao grau de diluição pretendido. Assim, dado que a água é imprescindível à produção de bebidas alcoólicas, é fundamental que não se desperdice, designadamente em actividades como a culinária, a higiene ou mesmo consumindo-a pura. No seguinte, é apresentada a constituição de cada Rectângulo do Quadrado das Bebidas:

Vinho
Este Rectângulo é o maior do Quadrado das Bebidas, devendo contribuir em cerca de 50% do consumo diário de líquidos. Dele fazem parte o vinho tinto, o branco, o rosé, o vinho do porto e os espumosos. Inclui ainda os vinhos compostos e licorosos. Esta bebida é rica em minerais e é também uma boa fonte de algumas vitaminas do complexo B. Para o pequeno-almoço recomenda-se o porto, abafado ou branco, para as restantes refeições ou ocasiões o tinto. Quanto aos espumosos não existe posologia recomendada, pelo que poderá ser consumido a qualquer hora do dia.

Cerveja
Neste Rectângulo incluem-se a cerveja e seus derivados, nomeadamente o submarino, o diesel, o tango e o panaché. A cerveja tem como benefícios uma acção antioxidante, vitaminas do complexo B e proteção contra a diabetes. Seja com tremoços, amendoins, pevides ou caracóis, o seu consumo mínimo diário deverá situar-se pelo menos ao nível da litrada.

Destilados
Inclui as aguardentes vínicas propriamente ditas, as de bagaço ou bagaceiras e as de frutos. Além disso, inclui o whisky, a vodka, o gin, etc. Estas bebidas possuem menos nutrientes que as dos grupos anteriores. Todavia, provocam um abalo de maior magnitude e mais duradouro.
Este grupo integra também o álcool etílico a 95 e 99%. Neste caso, o consumo deve estar circunscrito a situações de rotura de stock das anteriores. É potenciador de uma muito provável intoxicação, bastando para isso um irrisório investimento.

Mixórdias
Este Rectângulo inclui mixórdias de, e com destilados. No primeiro segmento, mixórdias de destilados temos os shots de todas as cores, estejam estes envoltos em labaredas ou em fase de rescaldo. São, chamemos-lhe assim, uma espécie de bebida, catalisadora para uma valente lapada, mesmo quando consumida em quantidades relativamente pequenas. Tornam-se particularmente eficazes para potenciar atitudes e actividades, vá-la, parvas e também para virar-o-barco.
Nas mixórdias com destilados temos ainda os cocktails e os licores. O seu consumo mostra-se muitas das vezes pouco eficaz, nomeadamente ao nível da relação quantidade-efeito.

No seguinte, mostra-se um exemplo de um consumo diário, completo, equilibrado e variado, desenhado em função do tipo de consumidor.

Refeição
Iniciantes
Intermédios
Federados
Pequeno-almoço
1 Branco traçado
Guronsan
2 a 3 Bagaceiras


Merenda manhã
1 Mini
1 Média
1 Gin tónico

Almoço
1 Copo de tinto
½ Litrada de tinto
Martini, Litrada de tinto e bagaceira

Lanche
2 Médias
4 Médias
Carrada de médias




Jantar
½ Litrada de Tinto e bagaceira

Litrada de tinto seguida de whisky
Tinto e digestivo à descrição

Ceia
Off-line
Meia dúzia de shots seguida de saltos de varandas para piscinas
Qualquer coisa com álcool


Resulta assim claro que o consumo recomendado de cada Rectângulo das Bebidas, depende das necessidades etílicas individuais e da ocasião. Como se vê, os iniciantes devem guiar-se pelos limites inferiores, enquanto os federados pelos limites superiores. A restante população, onde se incluem, por exemplo, adolescentes em viagens de finalistas, devem orientar-se por valores intermédios.