quinta-feira, 8 de junho de 2017

KO Teleseguros, fala o Marcolino

KO Teleseguros, fala o Marcolino!

O Sr. Alheiras de Albuquerque é descendente de uma família com tradição nos negócios, particularmente ao nível da recolha sigilosa de metais em propriedade alheia, actividade à qual deu continuidade e inclusivamente internacionalizou. Consequência disso são comuns, embora forçados, os períodos de longa permanência no estrangeiro, nomeadamente para cumprir pena.
No seguinte, é transcrita a conversa telefónica tida entre a seguradora KO Teleseguros e o Sr. Alheiras, por ocasião da participação de uma avaria na sua motorizada.

[Atendedor automático] Bem-vindo à KO Teleseguros! Após o sinal, prima a tecla 1 para seguro habitação, tecla 2 para seguro auto, tecla 3 para seguro vida e saúde ou tecla 4 para se habilitar a 1000€ em cartão. Obrigado. Por favor aguarde! A sua chamada encontra-se em espera.

De seguida, começa a passar em loop uma música do Eltones Jonas, interrompida ocasionalmente: Por favor aguarde! A sua chamada encontra-se em espera. Durante os 15 minutos de espera, o Alheiras começa a falar sozinho…

[Alheiras] Pa que pariu lá a seca!
[Alheiras] Mas que cao, lá vai o saldo do telemóvel com as pas!
[Alheiras] Ainda por cima, o cao do lamechas que não se cala!
[Alheiras] Estes gajos são bons é para ir buscar a morte…

Entretanto entra em linha o funcionário da seguradora.

[Marcolino] Bom dia, KO Teleseguros, fala o Marcolino! Em que posso ser-lhe útil?
[Alheiras] Bom dia! Andaram a chafurdar na minha Famel e agora não pega! Se sei quem foi o meliante que fez isto...
[Marcolino] Indique-me, por favor, a matrícula da viatura.
[Alheiras] 1- CTB 10-90.
[Marcolino] Confirme, por favor, se o veículo em questão é da marca Famel, modelo Mirage 75, com motor Zundapp de turbina e tem uma caravela de papel no guiador.
[Alheiras] É essa merda toda!
[Marcolino] O senhor refere que a motorizada foi alvo de vandalismo?
[Alheiras] Pois atão, bando de filhos da pa!
[Marcolino] Qual é especificamente a avaria?
[Alheiras] Mas que cao, que sei eu dessa merda? Não pega! F-se!
[Marcolino] Não sabe portanto indicar a origem da avaria?
[Alheiras] Cala-te cao!
[Marcolino] Desculpe!
[Alheiras] Não estou a falar consigo! Estás aqui, estás a enfardar!
[Marcolino] Desculpe, mas não estou habituado a ser maltratado desta forma.
[Alheiras] Já disse que não estava a falar consigo!
[Marcolino] Desculpe, mas agora não nos estamos a entender.
[Alheiras] Era prá patroa, o diabo da mulher não se cala! Mas afinal, é preciso tanta merda por causa de um reboque!
[Marcolino] Vou verificar se vai ser possível enviar um agora!
[Alheiras] Possível… nem que te fos todo, quero um reboque!
[Marcolino] Confirma-se o reboque. Pode indicar-me onde se encontra?
[Alheiras] Estou na estrada, onde cao haveria de ser!
[Marcolino] Sim, entendo, mas em que local especifico?
[Alheiras] Estou mesmo à beira da tasca do Zé Porco!
[Marcolino] Vai precisar de transporte para casa?
[Alheiras] Então e a motorizada de substituição?
[Marcolino] Lamento, mas a sua apólice não contempla veículo de substituição. A referida, apenas abrange a quebra isolada de vidros, despesas médicas resultantes de quedas promovidas por aviões comerciais ou por rebentamentos de misseis balísticos.
[Alheiras] Vigaristas do cao! Nunca mais me vão impingir nada, nem que se fm todos!
[Marcolino] Então, se não tem mais nenhuma questão, desejo-lhe a continuação de um bom dia.

[Alheiras] Este cao ainda goza! Um bom dia!? F-se! A Famel empanada na casa do cao mais velho, a patroa a cuspir lume, eu com uma sede do camandro… E esta besta ainda deseja um bom dia.